terça-feira, agosto 11, 2009

Um Vazio no Tempo!


"Durante uma visita à Expo de Lisboa descobri uma pequena sala despojada, onde não existia qualquer sinal religioso, só meia dúzia de bancos corridos. Foi aí que, quase como um espanto, senti uma sensação que nunca sentira antes uma enorme vontade de rezar não sei a quê ou a quem. Fechei os olhos, apertei as mãos, entrelacei os dedos e senti uma emoção rara, um silêncio absoluto e tudo o que pensava só podia ser trazido por um Deus que ali deveria viver e que me ia envolvendo no meu corpo amolecido. Mas quando os meu olhos se abriram, aquele meu Deus tinha desaparecido. Aquela vírgula no tempo foi o mais belo minuto de silêncio que iluminou a minha vida, que me fez reencontrar, e que me deu a esperança de que num tempo que seja breve me volte a acontecer. Que esse Deus assim queira!"
Escreveu Solnado e lia-se em cima do seu caixão.

4 comentários:

elvira carvalho disse...

Foi lido na TV. Fica-se com uma emoção tamanha, que a garganta dói no soluço sufocado.
Um abraço

Observador disse...

Também ouvi a leitura desse texto na reportagem televisiva.

É um texto que tem um enorme significado.

Anônimo disse...

Olá, passei só para saber como estão as coisas?

Não se esqueça..... Força!

Beijos

Vanda

Vera disse...

Às vezes encontra-se a força onde menos se espera!! Grande Raul Solnado...