sábado, agosto 22, 2009

O Bombarral continua bonito!

Com este titulo pode parecer que tudo no Concelho do Bombarral é um mar de rosas. Nada disso! Há aqui graves lacunas como em todo o lado. Há falta de emprego, a desertificação faz-se notar a cada dia que passa, a degradação dos edifícios, as ruas sujas, os animais abandonados, parques infantis completamente desactualizados e muito mais teria de apontar, mas hoje fico-me por aqui, não por falta de vontade de os enunciar mas porque o tema é outro e o Bombarral também tem aspectos muito positivos.
O que me leva a escrever hoje sobre esta Vila Oestina é o Jardim Budista na Quinta dos Loridos, no Bombarral.

O Jardim Budista é um espaço surpreendentemente magistral e ao mesmo tempo acolhedor, onde se "sente" paz e serenidade.



""João Annes de Lourido, a quem o Mosteiro doara terras junto ao Bombarral, talvez tenha sido o primeiro proprietário da Quinta dos Loridos, por volta de 1430. Nos finais do sec. XV, aparecem em Lisboa os Aifaitati ou Lafetas, família de banqueiros italianos, provenientes da cidade de Cremona, que controlavam uma das mais poderosas companhias internacionais, com sucursais em Roma, Portugal, Espanha, Flandres, Inglaterra e França. Associados ao comércio do açúcar da ilha da Madeira, e, logo após o regresso de Vasco da Gama, em 1499, ao tráfico de especiarias, fixam-se na zona de Óbidos, tendo construído uma casa de campo na Quinta dos Loridos doada por El Rei D. Manuel I, no inicio do século XVI. Na actualidade, a imagem quinhentista ainda é marcante na organização espacial das construções, nos jardins em socalcos, e particularmente, no portal "Paladiano" do corpo central do edifício, de inspiração obviamente colhida na Itália do século XVI. Curiosamente, a casa dos Aifaitati em Cremona apresenta um portal idêntico.




Em meados do séc. XVIII, a Quinta dos Loridos é propriedade da família Sanches de Baena, da qual o portal de entrada apresenta uma pedra de armas. Esta família, ao adquirir a Quinta, procedeu a alterações exteriores de grande impacte visual e clara filiação barroca, de que e exemplo a entrada e capela. Em 1834, o Capitão João Pedro Barboza comprou a Quinta dos Loridos. 0 seu filho, José António da Silva Barboza quis deixa-la em testamento a um pároco, que a recusou, pedindo-lhe que deixasse ao primo, Albino Herculano da Silveira Sepúlveda, que deste modo a herdou.



Os Loridos mantiveram-se na família Sepúlveda ate 1989, quando a firma J.P. Vinhos, S.A adquiriu. Desde então foi realizada uma profunda obra de restauro, que incluiu a reconstrução dos telhados e interiores, a instalação de uma adega para a produção de um espumante pelo Método Clássico numa antiga adega existente que ainda conserva um lagar de pedra com prensa de "vara", a construção de uma cave de envelhecimento e a plantação de vinha.

A Quinta dos Loridos, fica a poucos quilómetros do Bombarral e é uma exposição a céu aberto.

Impressionado com a destruição das estátuas de Buda no Afeganistão, pelos talibans, Joe Berardo criou neste enorme espaço de vegetação, árvores de sobreiros e carvalhos, um lago artificial, rodeado de inúmeras estátuas de Buda e de outras divindades orientais.

Um impressionante jardim oriental com pagodes chineses e enormes estátuas de Buda está a nascer nesta Quinta. O seu mentor, o milionário português Joe Berardo, quer fazer daquele local um espaço de meditação e de paz e "um contributo para um mundo melhor".

"Joe Berardo, o conhecido comendador e filantropo, coleccionador de arte, dá, ele próprio, uma explicação sobre o espaço: "é um local onde as pessoas podem ir para meditar e reflectir sobre si próprias sem qualquer responsabilidade religiosa".

A área do projecto terá vários níveis de estatuária, desde as maiores, que serão "as grandes referências", até ao nível mais pequeno, com esculturas de meio metro espalhadas por entre os caminhos que se situam no meio das flores e das árvores.

O arquitecto José Cornélio diz que o jardim não será um santuário budista, mas sim "uma evocação do Oriente feita por ocidentais" e que representará também "a presença portuguesa no Oriente e a interpenetração de culturas". As estátuas representarão várias épocas da vida de Buda, a quem José Cornélio equipara a S. Francisco pois ambos nasceram ricos e se despojaram da riqueza em vida numa atitude humilde de conquista de paz interior.

O texto deste artigo não é da minha autoria, referencia um mail que recebi sobre a Quinta dos Loridos e que provavelmente corresponde a uma reportagem sobre a Quinta, saída provavelmente num jornal ou revista, aqui fica por isso a referência... Mas meus amigos... vale mesmo muito a pena visitar, pode-se gostar ou não do estilo de Joe Berardo, mas realmente há que lhe dar os parabéns. Visitem e apreciem ...""

Fonte desta infrmação


Já havia uns tempos que não ia ao Jardim e quando voltei fiquei positivamente surpreendida pela grandiosidade da obra, se bem que muita coisa ainda falta fazer. O Bombarral está de parabéns e assim os políticos do Conselho saibam aproveitar esta mina que se lhes oferece de mão beijada.
Nada há na vila do Bombarral a assinalar o tão já afamado jardim, os "turistas" perguntam nas bombas de gasolina, nos cafés, e aos familiares. (Se há eu desconheço). A palavra é passada de boca em boca ou em vários blogues na Internet ou em Sits turísticos da zona, para dar só dois exemplos.

6 comentários:

sideny disse...

Bom dia

Não sabia que existia no bombaral esse jardim.

Muito bonito pela fotos que nos mostra.

abraço

Observador disse...

Realmente, o Bombarral surpreende pela positiva.
Parece uma terra em constante progresso mas de forma pensada, ao gosto e ao jeito de quem aprecia coisas bonitas.

Oxalá não se perca este espírito positivo.

Franky disse...

Olá Sideny

O Bombarral tem, graças ao Joe Berardo e a qualquer ideia que ele tenha em mente, mesmo que ela nos surpreenda pela positiva ou negativa, um Jardim Budista fantástico. Quando tudo aquilo estiver concluído acredito e mesmo contra vozes dissonantes, é um espaço muito especial.
Vale a pena visitar. Fica na estrada que liga o Bombarral ao Carvalhal, outro local lindíssimo para ser visitado.

Franky disse...

Olá Observador

Sabes que os que menos vão a este jardim são mesmo os bombarralenses? Por vezes não sabemos apreciar o que temos em nossas casas e invejamos o que os outros tem, por isso tantos portugueses vão de férias para o estrangeiros e desconhecem completamente Portugal e a sua terra. Não sei como é que isto um dia se poderá modificar mas é desolador, no mínimo!

elvira carvalho disse...

Não conheço mas é verdade que já tenho visto vários postes e fotos sobre o assunto em diversos blogues
Um abraço

Franky disse...

Ás vezes até penso que é demasiado grande para ser real, mas existe e deve ser visitado
Um beijinho