quarta-feira, dezembro 31, 2008

Assim vai a nossa Saúde!!

Tinha decidido encerrar este cantinho por uns tempo, o tempo suficiente para me encontrar a mim mesma e as palavras que a vida por vezes se encarrega de levar para bem longe. Mas por “culpa” de um amigo, o Observador do Blogue “Reflexos”, http://reflexosnexos.blogspot.com/, que me soube de uma maneira subtil puxar pelo coração e trazer à realidade e lutar por aquilo que mais temos direito. O direito à nossa indignação e de o podermos fazer através daquilo que temos ao nosso alcance, que são os nossos blogues. Este recado é dirigido à Ministra da Saúde, sim, porque apesar de ter plena consciência de que ela nunca irá ler semelhante Recado, fica a minha consciência muito mais aliviada. E isso para mim neste momento conta muito.
Vou contando isto devagar, como se de um conto se tratasse. Falado na terceira pessoa, mantendo uma certa distância, um certo afastamento, aquele afastamento de que preciso neste momento.
Como em todas as histórias, há os bons e os maus, há os que são como Deus e que nos são preciosos nos momentos de grande aflição e há os outros, os filhos da puta que só atrapalham, que não são nada, mas que se julgam acima de tudo e de todos.

Eram 8,30 da manhã, dia da noite de Natal! Ela ainda dormia, o silêncio inundava a casa, os animais ainda não se tinham levantado, a calma reinava, os corpos já um tanto cansados pelo passar dos anos merece um pouco mais de tempo para retomar a rotina de mais um dia de labuta. De repente o alvoroço, a desordem total. A voz de alguém que nos pede ajuda, que está aflito, que é preciso acudir sem demora. Cada minuto, cada segundo contava naquele instante. Ela atrapalhada tropeça, caí, levanta-se e cambaleando dirige-se ao telefone, marca o 112, explica o que se passa, pedem para repetir, pedem o nome da rua, pedem o nome do doente, o nº do telefone, ela troca tudo, repete, não entendem, chora, desespera. Repete, explica que o marido está a ter uma grande hemorragia que venham depressa! Asseguram que vão a caminho, que mantenha a calma. Calma! Calma. Conta os minutos, corre, vestindo a blusa, as calças, as botas que teimam eu não caber. Vai dando assistência ao marido, ajudando no que pode, confortando, dando apoio, correndo feita barata tonta. Alguém lhe grita para parar! Ela para, esta desfeita e chora. Quando dá por si, está na ambulância, a caminho do hospital. É tudo muito rápido, Ele vai logo lá para dentro e é de seguida recebido por uma equipa médica. Ela fica cá fora à espera, rodeada dos filhos, dos amigos! Quer saber notícias, dizem-lhe para preencher um papel, alguém preenche em nome dela e fica à espera. Chamam-na quase de seguida. É recebida por um médico que lhe fala na gravidade da situação, da extensão do tumor e que este tinha rebentado por ter feito uma biopsia há uns 4 dias atrás. Profissional e humano, o médico informa-a que o marido tem de ir para outro hospital, onde terá melhores condições técnicas e humanas para a gravidade do seu caso. Ali, nada mais podem fazer por ele, é um hospital distrital, poucos meios, véspera de Natal! Ela conforma-se e compreende. Não o pode acompanhar, terá de ir com o filho. Foi assim que fez.
Quando chegaram ao Hospital de Santa Maria, repararam que antes deles tinha chegada a GRIPE! Era o caos! A confusão total! Ela ampara o marido para se dirigirem à triagem. O médico de serviço nem olhou para Eles, estava a mandar mensagens de Natal, sim, disso Ela não teve dúvidas, Ela ouviu! Eram mensagens de Natal, para alguém que estava longe. Era véspera de Natal.
Enquanto Ele vomitava sangue por todos os cantos da sala, o bombeiro que o tinha levado ao hospital, tenta entregar ao médico, àquele mesmo médico que está a mandar mensagens de Natal, um envelope com muitas folhas do relatório que os colegas da província lhe tinham mandado. Pouco ligou ao que a carta dizia, estava preocupado com a falta de máscaras azuis. _ Tragam máscaras AZUIS, gritava! Enquanto isto, ela, procurava por todos os lados algo que servisse para o marido vomitar o sangue que ia saindo ás golfadas, serviram os caixotes do lixo. Foram dois! O cheiro era insuportável, a imagem era dolorosa. Ninguém a ajudou, nem lhe deram um papel para limpar todo aquele sangue! Nem uma palavra de conforto, nem de ajuda. Apenas uma máscara Azul! Apenas indiferença e mensagens de Natal para alguém que estava longe daquele local. A Ele, para além da bendita máscara, colocaram uma pulseira AMARELA e mandaram-no para dentro, para esperar numa outra sala. A Ela, uma tarjeta a dizer que era acompanhante do doente. Caminham os dois pelos corredores, apressam-se, tentam acompanhar um enfermeiro que caminha ligeiro por entre corredores, portas, mais corredores, mais portas. O filho fica cá fora, longe de tudo e de qualquer informação. Eram 13 horas da Véspera do dia de Natal.
Ele, é mandado esperar numa sala de tratamentos, “Aerossóis”, lê Ela na porta. Ela, é mandada esperar de pé no corredor, não há cadeiras, não há espaço, não há marido, não há filho. Não está sozinha, há ali dezenas de pessoas, que não falam com ela, nem a olham nos olhos, não a vêm, está invisível. As horas passam, a angústia aumenta. Tenta perguntar o que se passa, dizem que ainda não o viram.
Ao fim de 4 horas desespera, doem-lhe as pernas, tem a garganta seca, continua sem saber nada, espreita pela porta protegida pelos “guardas” invencíveis ao sofrimento, à dor humana. Pergunta mais uma vez se já o viram, _ Como se chama o doente? Perguntam pela segunda, terceira, quarta vez, nem ela já sabe bem. Mas desta vez Ela resolve agir, pergunta porque é que Ele não foi já atendido, respondem-lhe que ainda não chegou a vez dele! Como? Como era possível, ao fim de 5 horas, depois de ter saído com a máxima urgência do Hospital das Caldas da Rainha ainda não tinha chegado a vez dele? Tinha consciência a médica do estado de saúde grave em que o doente se encontrava? Sabia ela que Ele era doente daquele mesmo hospital, lá bem em cima, no 8º andar? No serviço de Pneumologia/Oncologia? Havia pouco mais de um mês, tinha sido encaminhado para aqueles serviços, tinha tido ali a sua primeira consulta, foi ali que lhe mandaram fazer a biopsia, era doente daquele mesmo hospital, tinham lá a ficha dele, tinham lá os exames. Ela falou mais uma vez no possível rebentamento do tumor depois de ter feito a tal biopsia e de ter interrompido um medicamento fundamental para o coração e logo após o seu reatamento a hemorragia ter acontecido, seria tão difícil ligar pelo computador para o 8º piso e interessar-se um pouco sobre este assunto Mandam-na ter calma! Mais calma? Que ficasse lá fora. Ela ia a sair, Ele pede-lhe água, estava cheio de sede, não bebia há muitas horas, certamente desde o dia anterior, eram 5 da tarde do dia seguinte, promete voltar com a água, que vai comprar lá fora, na cafetaria, uma enfermeira diz que eles ali têm água canalizada, que até é boa para a saúde, Ela se estivessem noutra situação, talvez tivesse achado graça, ou talvez não, mas ficou calada, séria, pronta a rebentar, recebeu um copo de plástico com água, copo esse que teve de guardar depois de vazio, o que seria lógico, dada as circunstâncias, não fosse o absurdo dos comentários, _ Ele que o guarde! Há poucos! É muita gente e assim ao menos quando tiver sede já tem um copo. Sem comentários, pensa Ela e vira costas, mais uma vez e pela milésima vez vai até à porta dar notícias da situação ao filho que espera na rua desde a hora do (sem) almoço.

Pouco depois Ela é chamada por uma médica, que a informa que Ele já foi visto, já sabem o que se passa e que vai ser internado, mas que ainda não sabem onde. O caso é muito grave, pode correr o risco de novas hemorragias. É só esperar mais um bocadinho. Ela vai lá fora, informa o filho, faz frio, vem para dentro, procura um lugar para se sentar, não há cadeiras vagas, o hospital está cheio, tem fome, tem arrepios de frio. Dói-lhe a perna, aquela onde lhe colocaram uma prótese há uns anos e que anuncia sempre quando vai mudar o tempo. Ali dentro do hospital morresse de calor, sai, entra. Teme perder de vista o marido, teme perder o marido. Ao fim de mais uma longa e penosa hora é-lhe comunicado que o seu marido vai para o Hospital Pulido Valente. Porquê o Pulido Valente? Porque sim, respondem, é tão bom como, ou melhor! Mas… Caso encerrado! Vai a correr chamar o filho para se despedir do pai, trocam a tarjeta, um enfermeiro vê e não gosta, diz que ele não pode entrar, Ela olha-o nos olhos e lembra-lhe que é noite de Natal e que o filho só se quer despedir do pai, é tão difícil assim de entender? O homem não entendeu, mais explicações, Ela não consegue explicar mais, está cansada, Ela não entra, Ela fica à espera, Ela não entende, Ela está farta!

Finalmente e ao cabo de longas 9 horas de verdadeiro calvário hospitalar vai de regresso a casa, sem o marido, sem esperanças, com o coração vazio porque já não acredita na humanidade, na solidariedade entre os homens. As técnicas existem, o homem evoluiu, e as máquinas que ele inventou fazem milagres, mas esqueceram-se de dizer que tem de existir HUMANIDADE e SOLIDARIEDADE, entre os seres humanos, senão corremos o risco de nos tornar-mos bestas.
Continua…

sexta-feira, dezembro 26, 2008

Os Meus Recados

Durante uns tempos este blog fica sem Recados.
O meu contacto está no meu perfil.
Um Bom Ano Novo.

sábado, dezembro 13, 2008

Porque é Natal!

A todos, que por aqui passam Um Bom Natal!







terça-feira, dezembro 09, 2008

9 de Dezembro



Naquele dia, eu sentia que alguma coisa estava para acontecer, não tinha dormido bem, estava cansada e o meu pensamento voava entre o passado e o presente. Sempre focado na mesma imagem. A minha mãe. Uma mistura de sentimentos que não sabia explicar. Na véspera, depois de uma ida ao Alentejo, eu tinha passado pela casa dela para lhe dar um beijo. Pediu-me que lhe arranja-se o cabelo. Eu assim fiz! Depois de lavar os cabelos brancos da minha mãe, coloquei-lhe os rolos e enquanto secava, fomos conversando sobre mil e uma coisa. Desabafos de alguém que sente o fim da sua caminhada. Preocupações exageradas de mãe galinha. Disse-lhe eu! Ela, na prenuncia tão característica do dialecto barranquenho nunca esquecido e sempre presente, respondeu-me que ela é que sabia o que era melhor para as suas filhas e que estava preocupada com o nosso futuro um dia que ela desaparecesse! Tinha 92 anos, amava a vida e a sua família acima de tudo. Nesse dia, ainda falámos dos seus medos, da sua terra e das suas gentes, pessoas que eu não conhecia, mas que ela se recordava com uma precisão impressionante. Contou-me histórias da sua infância, do tempo de escola, dos irmãos, e do meu pai. O meu Pai foi o grande amor daquela mulher frágil, pequenina, mas enérgica, desde os tempos de escola.

Mandavam-se recados um ao outro, em papelinhos, mensagens secretas de um grande amor. Eram crianças ainda, namoram à janela, não se tocavam, mal se vislumbravam na penumbra que envolvia a noite. Só eles e as estrelas, nas noites frias e escuras do Alentejo. Alguém devia estar ali por perto guardando a candura daquela paixão de meninos. Foi mulher de um só homem. Casou tarde já teria 30 anos feitos e nunca mais olhou para outros olhos senão aqueles olhos verdes que o meu pai tinha. Viu partir o companheiro dos seus dias muito cedo, tinha ele 57 anos. Uma dor nunca superada, confessou-me um dia. Ficou mais amarga, mais autoritária, com o sentido da responsabilidade mais aguçado.
Naquele dia a conversa nunca mais tinha fim, eu adorava ficar ali sentada ao lado da cama que ultimamente a acolhia. Tinha caído e tinha partido uma perna. Ficou ainda mais frágil, não comia, não queria viver assim, dizia-nos desesperada. Uns anos atrás tinha perdido a vista o que condicionava ainda mais os seus dias.

Chegou a hora de eu me vir embora. Ela não quis e chorou. Pediu-me para não a deixar e chorámos as duas. Abracei aquele corpo cada vez mais frágil, cada vez mais pequenino. Quem me dera leva-la comigo para sempre, pensei. Acalmei-a e disse-lhe que era melhor ficar ali na sua casa no quentinho do seu quarto que era seu há mais de meio século. Falei-lhe com doçura, explicando-lhe calmamente que não ficava sozinha, alguém ficava com ela. Disse-lhe também que voltava no dia seguinte, acalmou, serenou, acenou-me com a mão e olhou para mim com um olhar triste, como um adeus.

Eram 6 da manhã, o telefone tocou na minha casa. A minha mãe tinha acabado de morrer. Mil sentimentos eclodiram nesse momento. A minha mãe NÃO!! Foi só o que consegui dizer. Revolta, arrependimento, dor. E esta ausência que conta os meus dias.

Aquele dia, 9 de Dezembro, faz hoje 1 ano.

quinta-feira, novembro 20, 2008

6-2

Era suposto sermos os melhores nestas coisas dos "futebois", temos o jogador mais caro do mundo e por sua vez era suposto ser o melhor também! E somos também os melhores a levar esta banhada? Enxovalho? Vergonha? Cada um toma a dose que quiser!
Hoje lê-se nos jornais....

"Portugal regressou do Brasil com uma pesada derrota por 2-6. Há 53 anos que a Selecção não consentia seis golos e há sete que não perdia por uma diferença de quatro. Além disso, há quatro jogos que Portugal não vence um jogo, somando a derrota com a Dinamarca e os empates com Suécia e Albânia ao desaire brasileiro.
O que se passa? O que falhou? Foram as opções de Carlos Queiroz? Houve falta de motivação dos jogadores? Ou os brasileiros foram de facto mais fortes?

E mais não digo, porque tenho de ir retirar a bandeira que ainda estava ali desfraldada ao vento desde o tempo do saudoso Scolari.

quarta-feira, novembro 19, 2008

Democracia em perigo?!

Eu não acredito em reformas quando se está em democracia, quando não se está em democracia, é outra conversa, eu digo como é que é e faz-se; e até não sei, se a certa altura, não é bom haver seis meses sem democracia, mete-se tudo na ordem e depois então, venha a democracia», afirmou a líder do PSD, que defendeu, em jeito irónico, que a alternativa seria decretar meio ano sem democracia."

Democracia em Perigo?

Diz-se agora que esta frase foi pronunciada em tom de ironia! Não me parece que a ironia seja o forte de Manuela Ferreira leite.
Quando se quer fazer ironia com assuntos sérios corre-se o risco de se ser mal interpretado.
Mas mais grave do que fazer ironia com certos assuntos é a fragilidade com que se afirma que não é possível fazer reformas em democracia. Não só é possível como já o conseguiram outros primeiros ministros.
Mas a Democracia é algo que se pode descartar quando se bem entende e depois voltamos a vestir como se de uma capa se tratasse?
Esta é uma afirmação desgraçada que nunca por nunca ser deveria ter sido dita.
«Por qué no te callas?»

domingo, novembro 16, 2008

A um amigo


Flores para um amigo, que o tempo traz na lembrança e não posso esquecer.
Parabéns, hoje é o teu dia, por vários motivos, goza-o bem
Beijinhos

terça-feira, novembro 04, 2008

América!! O futuro do mundo!


Os candidatos à Presidência dos Estados Unidos submetem-se hoje ao julgamento do que se espera ser um número histórico de eleitores norte-americanos. O democrata Barack Obama à frente do republicano John McCain em todas as sondagens nacionais.


Um destes homens será o futuro Presidente da América, espero, desejo eu que seja Barack Obama.

Good luck Mr President Barack Obama.

sábado, novembro 01, 2008

Lembrar, sempre

Hoje é dia de lembranças! Quando a memória é mais profunda e a saudade aperta. Quando o amor é eterno. Para ti. Mãe. Sempre

quinta-feira, outubro 23, 2008

De volta a casa!

Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito
Um chama-se ontem e o outro chama-se amanhã
Portanto hoje é o dia certo para Amar,
Acreditar, Fazer e principalmente Viver!
(Dalai Lama)


Já se passou tanto tempo desde a última vez que postei por aqui.! A Manuela Ferreira leite continua calada e quando assim não é ficamos alinda mais confusos.
Eu estou de volta. Não sei se a minha ausência foi muito ou pouco notada, pelo menos alguns amigos manifestaram-se contra o meu silêncio, para eles um beijo enorme de grande amizade. Elvira, apesar da sua doença teve o cuidado de vir aqui de vez em quando espreitar e marcar a minha falta, um beijo de melhoras. O Observador, sempre atento lá ia observando o que se passava, e chamando a atencão por falta de notícias.
Continuam por aqui os mesmos problemas de saúde, não há ainda solução à vista, continuam os exames, ou a pouca vontade para os fazer. Um dia anda havemos de saber o que se passa! Paciência precisa-se.
Muita coisa mudou entretanto, não fazendo drama das coisas más que me vão acontecendo, confesso que custou. Nova terra, (apesar de ser a mesma de onde saí, a situação é completamente diferente agora), nova casa, nova situação financeira. Enfim, uma vida nova, feita de retalhos de coisas velhas .
A minha vida mudou? Tinha de mudar, era obrigatório e não havia maneira de contornar o situação.
Tão rápida foi esta mudança que nem tive tempo de me aperceber o quanto perdi ou se foi melhor ou pior para mim. O mundo à minha volta girou a uma velocidade tal que nem sei bem o que se passou. Tive momentos em que pensei que não aguentaria, ninguém aguenta, pensava eu. Porquê tenho eu de me fazer forte e limpar as lágrimas e fazer de conta que não é nada comigo? mas a vida não é assim tão fácil, por vezes é bem complicada. Enxuguei as lágrimas. Peguei nas minhas coisas e fiz-me à estrada mais uma vez.
Revolta-me que por vezes tenha de enfrentar estes maus momentos, pecados meus? Pecados de outros? Não importa! É nesses momentos menos bons, que temos de concentrar as nossas forças e seguir em frente. mesmo que não compreendamos o porque das coisas. Mas ao mesmo tempo penso que tantas e tantas pessoas estão em pior condições do que eu e aguentam firme, isso dá-me forças e vontade de seguir em frente. E também este amor incondicioinal dos meus filhos, principalmente do meu filho, um ser simplesmente maravilhoso.
Estou sim, cansada de tantas voltas e reviravoltas desta vida, cansada de mudar de caminho, de seguir em frente, quando a minha vontade era parar e ficar quieta num canto, no meu canto, o que eu escolhi e por direito era meu. Revolta sinto, muita, tenho direito a ela.
Ninguém deveria sofrer desenganos, desilusões. Ninguém, nem mesmo eu. Mas infelizmente foi isso que aconteceu, alguém se encarregou de talhar um caminho diferente do que nós tínhamos planeado e o sonho acabou.
Aqueles momentos de desespero em que pensamos que não é possível seguir em frente, em que olhamos à nossa volta e nem um pingo de esperança avistamos à nossa volta, foram assim esses meus momentos.
Agora é hora de seguir em frente, lamber as feridas e pensar no que fazer no futuro. E foi o que fiz.
Voltei à escola! Sim, voltei a estudar e estou a fazer o 12º. Estou a preparar o meu futuro, que começa já hoje. Voltei ao contacto com professores, colegas e em vez do "quadro negro" tenho o "Magalhães" por companhia. Até a matemática que era o meu calcanhar de Aquiles , está a ser fácil, pelo menos não um bicho de sete cabeças como eu estava à espera de encontrar.E stou a adorar o que estou a fazer.
Preciso estar preparada para trabalhar seja no que for, não sei o dia de amanhã, tenho consciência da situação, sei que não é fácil e sei as dificuldades que vou ter de enfrentar. Não sou pessoa de levar muito tempo a curtir uma dor, o que passou passou e hoje já é amanhã. Não há tempo a perder. Não tenho idade para isso. Não posso neste momento dar-me ao luxo de olhar para trás e chorar as mágoas passadas.
E pronto, estou finalmente de volta, depois de vários problemas técnicos. Estou de volta às críticas de escárnio e mal dizer, e não só, pois nem só de corte e costura se faz esta vida. Espero estar de alma lavada para escrever tudo aquilo que me vai na alma, em principio devagar pois vida de "estudante" é complicada. Um dia de cada vez.

quinta-feira, agosto 28, 2008

A desaparecida!

Porque não fala??

Onde anda Manuela Ferreira Leite?
Porquê este silêncio?
Será um longo retiro espiritual?
Quando aparecer será a salvadora da pátria?

Quando o País atravessa um período difícil de instabilidade social, os crimes violentos sucedem-se, os assaltos multiplicam-se, os bancos são assaltados à mão armados, respira-se insegurança por todo o País. Empolgado ou não pelos órgãos de informação a realidade é só uma. Os crimes violentos e a instabilidade está instalada em Portugal! O Desemprego e descontentamento político cresce a olhos vistos!
Numa hora destas que é feito do líder do maior partido da oposição?
O Procurador Geral da República faz um comunicado sobre o assunto. O Ministro mudam as leis de porte de armas. O presidente da República diz-se muito preocupado com esta situação!
E o que diz Manuela Ferreira Leite? Onde é que ela se esconde?? Porque não fala? O que acontece com esta mulher?
Que é feito do maior partido da oposição? Quando alguém da oposição levanta a cabeça da areia onde está estendido a gozar férias, em qualquer praia paradisíaca, é para exigir a demissão deste ou daquele ministro. e porquê? porque foi assaltada uma carrinha de valores!8?) depois vendo que isso não é relevante, voltam à posição anterior e ficam na modorra mais uns dias, semanas até!
Manuela Ferreira Leite vai aparecer em vésperas de eleições? E a confiança onde fica? Quem pode confiar em alguém que se cala perante tantos portugueses descontes e aflitos neste momento? Com esta atitude só demonstra uma indiferença total para com os nossos verdadeiros problemas!

segunda-feira, agosto 25, 2008

Piscinas municipais de Évora!

Hoje tive o prazer de conhecer as piscinas de Évora! E gostei! Grandeza de edifício! Limpeza! Beleza e Simpatia de todo o pessoal. Valeu a pena! Estava pouca gente, tivemos bons banhos com água agradável, sombras frescas e um Sol digno de um dia quente de Agosto! Perfeito!! Sempre que poder, vou voltar.

O Chiado há 20 anos!



As memórias de um dia trágico! Acordámos com a voz dos locutores da TSF a anunciar a grande desgraça. O Chiado estava a arder! Era o dia 25 de Agosto e aconteceu um dos maiores incêndios na cidade de Lisboa na zona da Baixa. O coração da cidade de Lisboa estava em chamas!
Muito do comércio tradicional da zona desapareceu, como os Armazéns do Chiado, Jerónimo Martins, Eduardo Martins e outras pequenas lojas e escritórios, alguns já centenários
. Cerca de 2.000 pessoas que aí trabalhavam, perderam os seus empregos.
Estiveram envolvidos no combate ao incêndio cerca de 1150 homens e 275 viaturas.
Registaram-se duas vítimas mortais e 73 pessoas ficaram feridas ( na sua esmagadora maioria bombeiros).
Nunca se descobriu a origem deste grande incêndio! Aconteceu simplesmente, vindo nada!
Quem o viveu não o poderá esquecer nunca mais.

Encruzilhadas!

Encruzilhadas da vida!

Há momentos na vida de verdadeira encruzilhada.
Perdida aqui e ali, com sonhos interrompidos e esperanças de alma vazia.
A vida é como água que me escorre por entre os dedos e fico parada a vê-la deslizar.
Que insiste em desaparecer.
Sem compreender o que me acontece e porque me acontece,
com a esperança perdida!
A desorientação e o desespero como companhia!
Caminhos cruzados, novelos onde não encontro a ponta!
E penso, a minha cabeça é um turbilhão de pensamentos e ideias!
De vez em quando, insistem em tirar-me tudo, fico sem nada,
tiram-me o sustento e o alento.
Mas não desisto! Nem posso!
Insisto.
Recomeço do nada.
Doí cá dentro! Esta perda que há em mim
E de que maneira.
Revolta embrulhada em lágrimas.
Raiva do que não compreendo.
Paro, penso e enfrento o caos,
nunca me dou por vencida.
Isto é a vida, ou a força de querer viver.
E lá vou eu à luta mais uma vez.

Oh mãe, minha mãe, diz-me para onde vou!

domingo, agosto 24, 2008

Minh'Alma

Mariza

Minha' Alma

Alma ai! Minh' Alma
Diz-me quem eu sou
Alma ai! Minh' Alma
Diz-me para onde vou

Lisboa vem namorar-me lá vou eu
Pelas ruas do passado a correr
O meu fado é o futuro mas eu juro
Meu amor
Que namoro o meu passado
Sem lhe dizer para onde vou

Alma ai! Minh' Alma
Diz-me quem eu sou
Alma ai! Minh' Alma
Diz-me para onde vou

Quando saio de ao pé de mim eu sou o mar
Doutras terras, doutras gentes que não vi
O meu canto é o meu sonho não morreu
Meu amor
Meu amor eu sou o povo
Sou mais longe do que eu

quinta-feira, agosto 21, 2008

Se a moda pega!

Para aqueles que pensam que já viram tudo, preparem-se!!

Arte ou provocação?

Dizem que é arte, pintura em tecido!


(Pelo sim, pelo não, vou tentar pintar umas saias velhas que ali tenho).

Nelson ÉVORA!!

Medalha de OURO!!!

É ouro! Nenhum atleta melhorou a marca e Nélson Évora garante o título olímpico ainda antes do seu último salto! Está feito, e de forma brilhante! Primeira medalha de ouro para Portugal e para Nélson Évora, que termina a prova lavado em lágrimas.

Parabéns NÉLSON ÉVORA!!!!

O inferno em Barajas!

Mais de 150 mortos no acidente aéreo de Madrid
"20.08.2008 - 20h00 PÚBLICO
Apenas 19 das 172 pessoas que seguiam a bordo do avião da Spanair que hoje se despenhou no aeroporto de Barajas, em Madrid, sobreviveram ao acidente que vitimou 153 pessoas, de acordo com indicações da companhia aérea ao "El País". Este é já considerado o pior acidente aéreo em Espanha dos últimos 30 anos. A maioria dos feridos, encaminhados para vários hospitais da capital espanhola, encontra-se em estado considerado muito grave. Um dos feridos, um rapaz na casa dos 20 anos, acabou por morrer ao final da tarde, fazendo descer para 19 o número de sobreviventes.

Das 172 pessoas a bordo, 162 eram passageiros (incluindo vinte crianças e dois bebés) e dez eram membros da tripulação.

“Apenas a cauda está reconhecível. Há destroços espalhados por todo o lado e corpos”, admitiu em declarações à rádio nacional espanhola Herbigio Corral, responsável pelas operações dos serviços de emergência no local do acidente. Herbigio Corral confirmou que há apenas 28 sobreviventes e que destes oito estão em estado crítico.

A ministra espanhola das Infra-estruturas, Magdalena Alvarez, falou também aos jornalistas esta tarde no aeroporto de Barajas, mas recusou-se adiantar o número de mortos do acidente. Magdalena Alvarez afirmou apenas que o número “é muito elevado” e que os últimos dados apontavam que apenas 26 tinham sido resgatadas.

Fontes da delegação do Governo em Madrid citadas pelo "El Mundo" avançaram que 80 corpos foram já retirados do local. Os corpos foram transportados para um pavilhão do centro de exposições Juan Carlos I, em Madrid, para serem identificados.

A bordo do voo JK5022 da Spanair, que fazia a ligação entre Madrid e Las Palmas (Canárias) e era partilhado com as companhias aéreas alemã Lufthansa e escandinava SAS, seguiam 166 passageiros, incluindo dois bebés, e nove tripulantes, segundo informações avançadas pelo director comercial da companhia espanhola, Sergio Allar.

A lista de passageiros já foi divulgada pela Spanair (ver link), não especificando, porém, as pessoas que morreram e as que sobreviveram.

O avião deveria ter descolado do aeroporto pelas 13h00 locais (12h00 em Lisboa) mas só levantou voo às 14h35 (13h45), depois de ter submetido a uma inspecção técnica. A própria Spanair confirmou que o seu aparelho saiu com uma hora de atraso devido a problemas técnicos.

Pouco depois de descolar, um dos motores do lado esquerdo do aparelho ter-se-á incendiado e o avião acabou por despenhar-se na pista 36L, no Terminal 4, provocando um fogo na vegetação próxima da pista. O jornal espanhol “ABC” avançou que o aparelho ter-se-á despenhado após uma segunda tentativa de descolagem. O "El Mundo" adianta, por sua vez, que após a queda o avião partiu-se em dois. Estas informações não foram ainda confirmadas oficialmente.

As caixas negras do aparelho já foram encontradas e as investigações ao acidente vão ser iniciadas.

As operações de socorro continuavam na pista 26 do aeroporto ao cair da noite. Segundo o “El País”, pouco antes das 20h00 locais (19h00 em Lisboa) uma equipa de mergulhadores da Guarda Civil efectuava buscas num rio próximo do local do acidente, quando continuam desaparecidas 25 pessoas. A operação foi iniciada no rio por parte da fuselagem do avião ter caído na água.

A Spanair, a segunda maior companhia aérea espanhola, a seguir à Iberia, accionou um número de emergência para os familiares dos passageiros (0034 800 400 200) e fretou um voo desde as Canárias até Madrid para as famílias das vítimas. No aeroporto de Madrid foi disponibilizada uma sala onde está a ser dado apoio psicológico aos familiares.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português disponibilizou também um número (707 202 200) onde podem ser dadas e recebidas informações sobre a possível existência de portugueses entre os passageiros.
"

quarta-feira, agosto 20, 2008

Mais pobres!



Pois é Sr. Primeiro Ministro, às vezes a boca foge-nos para a verdade! E de que maneira! Estamos cada vez mais pobre, a pouco e pouco cada um de nós e cada um à sua maneira estamos a sentir na pele a crise em que o País se afunda.
Vamos todos pensar nisso!

terça-feira, agosto 19, 2008

Vicente Moura!

Vicente Moura não se recandidata ao lugar do Comité Olímpico por causa dos maus resultados dos nossos atleta, depois de ter pedido "profissionalismo e brio" aos desportistas que representam Portugal em Pequim!
Vanessa Fernandes alerta para a falta de empenho dos atletas.
Enquanto uns preferem ficar na caminha de manhã, outros dizem que não estavam preparados para enfrentar tanta gente! A vela anda à solta num mar de escolhos! O nosso atleta nesta especialidade, está farto de lutar sozinho, treinando todos os dias do ano sem apoios, sem patrocínios!
Naide Gomes, afirmou hoje, depois das palavras de Vicente Moura, que nenhum atleta foi "brincar" aos Jogos Olímpicos!
Algo vai mal pelo mundo do desporto olímpico!
Queixam-se os atletas que nós, o País inteiro faz demasiada pressão sobre eles, que exigimos demais, que... que... Desculpas. Falta humildade a esta gente!

segunda-feira, agosto 18, 2008

A prata que vale ouro!

Vanessa Fernandes, a menina de ouro!
Ela nadou, pedalou e correu para oferecer a Portugal a primeira medalha nos Jogos Olímpicos de Pequim.
Oh pá, fogo!!!!
Gosto da miúda, é simples, é humilde e é nossa!

sábado, agosto 16, 2008

Obikwelu anuncia fim da carreira!


Anúncio feito em Pequim
16.08.2008 13:43 Victor Ferreira, com Hugo Daniel Sousa em Pequim
Francis Obikwelu vai colocar um ponto final na sua carreira, depois da derrota de hoje na segunda meia-final dos 100 metros nos Jogos Olímpicos de Pequim. O atleta vai retirar-se e já não participará na prova dos 200m. E pediu desculpa aos portugueses por ter falhado o apuramento para a final da prova.

Em declarações após a corrida que o atleta do Sporting concluiu no sexto lugar, com a marca de 10,10s (bem longe do seu recorde europeu de 9,86), Francis, 29 anos de idade, disse que a decisão de abandonar o atletismo não é de agora e pediu desculpa aos portugueses por não ter conseguido chegar à final do hectómetro nos Jogos Olímpicos de Pequim.

"Não quero dar desculpas, foi um momento baixo. Não consegui estar na final, sei que em Portugal todo o povo me estava a apoiar. Não sei o que se passou, mas não consegui acelerar", disse o atleta, depois de ter falhado o apuramento para a final, que foi dominado pelo jamaicano Usain Bolt com a marca de 9,85s (a um centésimo de segundo do recorde olímpico, na posse do canadiano Donovan Bailey). "Não estava cansado, porque no aquecimento estava bem. Essas coisas acontecem. Mais uma vez houve falsa partida, mas não quero dar isso como desculpa. O problema foi não ter conseguido acelerar e o arranque foi muito lento. A culpa é minha", assumiu Francis, natural da Nigéria e que obteve a nacionalidade portuguesa em 2001.
Francis agradece aos portugueses

"Quero agradecer aos portugueses, porque toda a gente vê as minhas provas e quero pedir desculpa, porque estão a pagar para eu estar aqui e não consegui chegar à final. É um momento mau, porque esse é o meu trabalho. Queria dar pelo menos a final. Sinto-me na obrigação de pedir desculpas, porque esse é o meu trabalho e pagam-me para fazer isto. Deixei o meu país ficar mal." O velocista, que foi medalha de prata em Atenas 2004 na mesma distância dos 100m, aludiu ainda a problemas físicos para justificar o fim da sua carreira. "A vida continua e vou deixar o atletismo já. Não vou aos 200 metros. Foi a última corrida. Porque já não preciso e tenho muitos problemas nos joelhos, mas não é desculpa. Já estou há 14 anos no atletismo e é o momento de sair", sublinhou, insistindo que não abandona por não ir à final. Agora, "vou ver a minha mãe e descansar, e fazer outra coisa. Não sei se faço mais algum meeting. Neste momento na minha cabeça está decidido. Não abandono por não ir à final".

Olhando para a sua carreira, o velocista lembrou que conseguiu "todas as medalhas que existem". "Já ganhei em Jogos Olímpicos, em Campeonato da Europa e do Mundo. O importante é que os jornalistas e o povo me apoiaram nos momentos baixos. Estou contente."

Sobre o seu futuro, anunciou que pretende dedicar-se à sua fundação que "está a correr muito bem". "Quando voltar [a Portugal] vou de férias e pensar no que vou fazer. A minha mãe e o meu pai vêm a Portugal e se ela gostar podemos ficar a viver em Portugal, depende dela", disse ainda.

"Usain vai ganhar facilmente"

Sobre a competição que está a decorrer em Pequim, Obikwelu comentou que para ele seria uma "surpresa se Tyson Gay chegasse à final, porque teve um problema grave nos campeonatos americanos".

"Usain Bolt vai ganhar facilmente. Asafa é meu amigo, mas não tem hipótese, porque Usain está muito forte. Não sei se vai pensar no recorde do mundo, hoje está a pensar em ganhar, porque o recorde já é dele. O importante é ganhar o ouro."

Há dias, em Pequim, Obikwelu fez declarações que transpiravam confiança. O atleta chegou mesmo a dizer que iria surpreender a concorrência.

"Sonhei com uma medalha, não tenho medo, só que a coisa não correu bem. Os outros estão muito fortes, não arranquei bem, tinha condições para estar na final, mas não consegui", lamentou, dizendo que o melhor momento da sua carreira "não foi ganhar a medalha, foi a forma como os portugueses me trataram quando cheguei a Portugal".

"Esse momento foi o mais giro, o mais espectacular. Há países, como a Nigéria, que quando não ganhamos uma medalha não ficam contentes, mas em Portugal o povo sempre me apoiou quando tive problemas", agradeceu o atleta, despedindo-se com uma promessa: "Agora vou gozar a vida."

Para mim e até agora, foi o único momento alto nestes jogos olímpicos de Pequim, um atleta pode ser Grande, nas palavras, nos sentimentos. Obikwelu soube-o ser!

E nós continuamos à espera de uma medalha!

terça-feira, agosto 05, 2008

Fazer a diferença!

Num mundo cheio de violência, quando nos chega um mail com imagens como estas, cheias de amor e solidariedade achei meu dever divulgá-las.

Estes meninos encontraram um cão em sérias dificuldades para sair daquela situação onde se encontrava e eles não hesitaram em correr riscos para o salvarem.

I

III
IV
V
E salvaram. Lindo!!

segunda-feira, agosto 04, 2008

Que Calor!!


Com 40º à sombra, em alguns lugares sobe até os 42/43, o Alentejo torra! Para quem não está habituado é insuportável esta canícula!
Admirável é a forma como os Alentejanos suportam este calor abrasador. Continuam a sorrir, pacientes, simpáticos, afáveis, pouco falam sobre ele. O calor! Aceitam-no! O brasão queima os corpos. Suportam. Não se vê vivalma nas ruas. À noite, dentro das casa, sufoca-se. O ar condicionado, um bem necessário, uma dádiva dos céus. Dorme-se melhor. Respira-se melhor!
Quem não o tem, saí para a rua. As esplanadas estão cheias até as primeiras horas da madrugada. Corre um pouco de ar fresco. Parece! De volta a casa, porque amanhã é dia de trabalho, tenta-se dormir, os corpos cansados caem na cama, procuram no sono a calma que não conseguem encontrar. Amanhã, logo já ali, mais um dia de calor intenso os espera.
Esta gente merece uma bebida bem fresquinha, no mínimo e a minha admiração!

sexta-feira, agosto 01, 2008

Cemitério para adeptos...

Espanhol cria cemitério para os adeptos... aqui

"O novo estádio do Espanhol, o Cornellá-Prat, terá um cemitério para 20 mil adeptos do clube, com cada local de repouso a custar cerca de quatro mil
euros.

O Espanhol espera arrecadar com esta iniciativa cerca de quatro milhões e meio de euros em 15 anos. No total o cemitério do clube espanhol terá cerca de mil metros quadrados, divididos em três plantas. "As urnas vão estar cobertas por pinturas, murais ou fotografias do Espanhol, que serão escolhidas pelos futuros mortos".

O estádio do Espanhol, e o seu cemitério, deve ser inaugurado em Novembro."

Por favor digam-me que isto não é verdade!!

quinta-feira, julho 31, 2008

Afinal a montanha pariu um rato! Ou nem isso!


Todo o dia de ontem, dia 30 de Julho, nos questionámos sobre o que teria acontecido para o Presidente da República interromper as férias e partir em direcção à Capital, para fazer uma comunicação ao País! Acho que os mais atentos a estas coisas da política pararam, e ficaram ansiosos para ouvir o que lá vinha. Falava-se aqui e ali sobre o motivo de tão grave comunicação. Estávamos apreensivos, seria que o governo ia cair? Falaria do petróleo? Da economia? Da justiça? Futebol? Do racismo? Da pobreza? Salários em atraso, despedimentos? Caso Maddie McCann? Do que iria afinal falar Cavaco?
Às 8 da noite lá estávamos em frente à televisão! Todos! O silêncio imperava, o trânsito parou, os cafés ficaram vazios! Voltou-se mais cedo das praias em tempo de férias. Atrasaram-se os jantares! E ouvimos atentamente o que nos era comunicado com um ar tão solene e grave que metia medo.
Pasmámos!
E afinal... a montanha pariu um rato!
Ao princípio ainda pensei que o Governo Regional dos Açores tinha sido destituído! Mas não, afinal era "apenas" trabalho de casa! Uma questão de "estatutos"! Sem tirar a importância devida ao assunto, não acho que seja um tema de interesse da maioria de um povo que tantas outras coisas o trás muito mais preocupado e apreensivo!
Nada me dizia o assunto, não sou deputada, nem sou dos Açores. Virei costas e voltei à minha vidinha, remoendo por ter perdido o meu tempo e prometendo que nunca mais me preocuparia com comunicados tão solenemente anunciados.

quarta-feira, julho 30, 2008

Eunice Munõz!!!

80 Anos!!



A minha mãe contava como eram diferentes os dias em que o Teatro ambulante chegava à sua terra!
Os dias da infância da minha mãe, passados em terra perdida entre serras de Espanha, eram sempre iguais, melancólicos, sem sobressaltos, numa quietude própria de terras quentes do Sul. De repente, como por encanto, os seus dias finalmente se transformavam!
A Companhia Mimi Muñoz tinha chegado a Barrancos.
Vinham da Amareleja, mas traziam o encanto de quem vinha do fim do mundo, carregados de magia.
Há mais ou menos 75 anos que isto aconteceu e a minha mãe lembrava-se como se tivesse acontecido ontem. Recorda a vivacidade com que uma menina, ainda pequena se movimentava por entre os artistas! O à vontade de quem sabe pisar um palco! E representava tão bem! Teria 5 anos! E a todos pasmava!
- Que grande actriz que ela vai ser quando for grande! Diziam ao vê-la ali acompanhando os outros actores e actrizes, como se fosse o grande papel da sua vida.
E foi.
Ela chama-se Eunice Munõz. Já naquela altura encantava o público. Hoje e ao fim de 80 anos continua a encantar.
Parabéns Eunice, continue assim, única, igual a si mesma.

Magalhães!


O novo computador portátil português!



Eu já sei, é uma boa notícia, mas... lá virão os profetas da desgraça vaticinar mil e uma desventura para esta longa viagem pelo mundo da informática portuguesa. Mas eu sou de opinião que é sempre bem vindo tudo o que venha ajudar o desenvolvimento, e acabar com o marasmo de anos e anos em que Portugal esteve mergulhado.
Todos estes investimentos e parcerias no mundo das novas tecnologias vão sem dúvida criar muitos postos de trabalho e ao mesmo tempo vão também dinamizar o nosso país
.
Estamos de parabéns!

domingo, julho 27, 2008

Amy Jade Winehouse

O mito

O mito caído em desgraça!



Às vezes dá-me vontade de em vez de mandar um recado, mandar mesmo um safanão daqueles que mete estalo e tudo! Como é possível que alguém minimamente inteligente se destrua desta maneira? Dizem que é um mito para a juventude! Belo exemplo, sem dúvida.
- !Menina acorda, que a morte espera por ti. E depois já não há retorno, nem boas vozes, nem caras bonitas. Depois é tarde! Apenas, nada!

sábado, julho 26, 2008

Sismo no Alentejo!


Sismo sentido no Alentejo!

Um sismo de 3,1 graus na escala de Richter, com epicentro no Alentejo, foi registado este sábado pelas estações da Rede Sísmica do continente, anunciou o Instituto de Meteorologia.

De acordo com a agência Lusa, o epicentro do abalo, registado às 17h09, foi localizado a 8 quilómetros para norte-nordeste de Arraiolos, entre esta vila e Vimieiro.

Contactado pela Lusa, fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora disse que o sismo foi sentido em «Évora, Arraiolos e Montemor» e que «não há registo de danos materiais ou humanos».

Eu também senti o sismo, mais parecia um trovão! Pouco tempo, mas forte!

Outros Futebóis

Bola fiscalizadora!

Agora a bola está do outro lado, do lado dos inimigos de Pinto da Costa e dos Clubes do Norte. O Norte perdeu ! O Sul ganhou? E o que ganha com isso?

Quer queiramos ou não, isto é um romance que não tem fim. Para quem é leigo em “matérias de contornos futebolisticos”, vê estes episódios fora das quatro linhas, no mínimo caricato. Ora ganham os do Norte, ora ganham os do Sul. E nós a ver passar a bola!! Ainda ficamos tontos de tanto virar a cabeça! Ora agora ganhas tu, ora agora ganho eu!

Há tantos processos em tribunal que chegam ao fim ou são arquivados, sem que nós tenhamos entendido patavina! E os casos Esmeralda, MacCann, e tantos outros, será que vamos começar a chamar entendidos, como Freitas do Amaral, para dar o seu veredito? Vamos ter de arranjar um grupo de “ Anciões Imaculados” perante a opiniao pública, para verificar todos os julgamentos que não pareçam credíveis? Mas não credíveis a quem? A certos interessados?

Assim vai a bola!!

quinta-feira, julho 24, 2008

Parabéns, Filho!



Parabéns

Há pessoas assim, especiais!
Pessoas tão especial como tu
Que merecem toda a felicidade do mundo!

Há pessoas especiais
Na sua maneira de ser,

Nas suas atitudes,

No seu gostar e respeitar.


Por isso, e por tantas outras coisas,

É que eu não poderia jamais esquecer de te desejar felicidades!
Neste dia tão especial!


Continua assim, igual ao que sempre foste
.
Brilhando, como sempre brilhas-te.

Amigo do teu amigo e dos inimigos também!
Sempre pronto a despir a camisa para a dar a quem dela precisa,

Ajudando e modificando aqueles que caminham por caminhos algo tortuosos.
Como se pudesses mudar o mundo!

Estás sempre aí, pronto para ajudar tudo e todos.

Com um sorriso nos lábios
.
E a palavra fácil de apoio e carinho.
E esquecendo-te de ti.
Vivendo a vida dos outros.
Como se fosse a tua própria vida.

Eu também quero participar
,
E homenagear esse ser tão especial que tu és!

E aproveito para te desejar
uma vida cheia de realizações.
E que com a tua sabedoria e bondade
continues a conquistar as boas amizades. Tu mereces!
Parabéns

quarta-feira, julho 23, 2008

As Cegonhas!

As cegonhas no Alentejo

"Há quem goste do Alentejo pelo ensopado de borrego, os brancos da Vidigueira, os tintos de Borba ou de Redondo.

Outros gostarão dele pelo cromeleque dos Almendres, o Templo de Diana, o Convento da Conceição, onde a quase lendária Mariana Alcoforado teria (…) escrito as mais exasperadas e comoventes cartas de amor (…).

Outros ainda virão ao Alentejo pelos cavalos de Alter, os girassóis em flor dos arredores de Beja, as garças brancas dos campos de
Montemor, o ulmeiro único de Portalegre (…). Mas também se poderia descer ao Alentejo pela áspera melancolia dos corais de Vila Nova de São Bento, ou somente pelas gloriosas oliveiras de Serpa (…).

São boas razões para amar o Alentejo, mas as minhas são outras.

Os meus primeiros contactos com o Alentejo são antigos. À roda dos meus vinte e poucos anos calcorreei muito os seus caminhos, desde Niza a Mértola, desde Sines a Monsaraz, naturalmente com olhos muito mais deslumbrados do que são hoje os meus, umas vezes com o etnólogo Ernesto Veiga de Oliveira, outras tendo por companhia quem se confiava à minha juventude, que então era muito transbordante. Com o Ernesto e o Benjamim, num velho Dois Cavalos, a que chamava Rouquinho pelos frequentes ataques de rouquidão do seu motor (…)

E uma tarde chegámos a Beja com um calor que rachava as pedras e uma luz espessa e branca quase sufocante. Entrámos na pensão para um duche e um gaspacho e (…) corremos ao Convento da Conceição (…), pois trazíamos na cabeça a convulsiva beleza das cartas de Mariana (…).

Depois deste primeiro encontro, o mundo deu muita volta.
Com a freira de Beja tive de lidar de perto, pois um amigo pediu-me para traduzir as Lettres Portugaises. (…)

Voltei a Beja para o lançamento de uma das edições das Cartas (…). Fizemos então leituras no Convento e na Biblioteca, ceámos n´Os Infantes, percorremos as ruas empinadas da Mouraria, sentámo-nos na Praça da loggia florentina (…), deixámo-nos envolver, como se fora um linho fresco, pela serenidade da igrela de Santa Maria..

Só faltava descobrir o Convento de S. Francisco, transformado com inteligência e bom gosto em pousada. (…), onde me sinto como andorinha ou cegonha que regressa ao sítio onde fez ninho (…)."

Eugénio de Andrade

Que mais se pode dizer do Alentejo, que não esteja aqui tão bem reproduzido por Eugénio de Andrade? Este calor que "racha as pedra". E "uma luz espessa e branca quase sufocante"! Magnifico! Também me sinto assim, como uma andorinha ou uma cegonha que regressa ao ponto de partida. Tão verdadeiro.