terça-feira, maio 05, 2009

Fim de linha!


Quando alguém entendido nestas coisas da vida, nos diz, "_ Chegou ao fim da linha! Nada mais há a fazer, tem de se mentalizar disso, com calma, sem dramatismos! É então que perguntamos: E agora? O que faço?

23 comentários:

Observador disse...

Não é fácil responder.

Mas ... será mesmo o fim da linha?

Franky, um beijinho.

elvira carvalho disse...

Meu Deus Franky é um choque.
Mas como diz o Observador, será?
Às vezes os entendidos também se enganam.
Deixo um abraço apertadinho.

Jon disse...

Não te sei responder, Franky! Não sei mesmo, embora gostasse de o fazer.
Mas como disse a Elvira, os entendidos também se enganam.
E têm de haver mais respostas...digo eu.
Um abraço e um beijo cheios de força e esperança!

Carecaloira disse...

Também não sei o que responder.
Mas acredito que haverá outra linha para ir.
Não percam a esperança, acreditem.

Beijinho grande

Franky disse...

Meus amigos, não quero ser alarmista, nem dar a ideia de que estou a desistir, mas o Rui tem passado muito mal estas 3/4 semanas. Por vezes nem a quimioterapia tem conseguido fazer. Está extremamente cansado, não se levanta da cama e come muito pouco, tem muita falta de ar, e temos ido com ele estas últimas noites para o Hospital das Caldas da Rainha, vai e vem, saí daqui de casa com muita falta de ar, muito ansioso, muito nervoso, é assistido pelo INEM, depois, regressa mais calmo, mais medicado. Atarax e Tramal, em doses cada vez mais fortes.
Estão a tentar fazer-lhe Rádio, mas com muito receio por causa do Pacemaker. Pensaram até mudar a pilha de lugar, mas era extremamente perigoso, o Rui não aguentaria. Por isso vão tentar fazer assim mesmo, mas ao mais pequeno aviso do aparelho, têm de parar o tratamento. Terá de ir a uma "afinação" do Pacemaker antes da Rádio e depois da Rádio. Sinceramente não estou a ver o Rui capaz de tanto, da Cardiologia para a Rádio, da Rádio para a Cardiologia, todos os dias, no estado em que ele está. Andar para ele é um esforço sobre humano. Os médicos nada mais podem fazer, pelo menos é o que eles nos dizem. Neste momento damos-lhe todas as forças do mundo que temos, é a única coisa que podemos fazer, e pode ser que Deus nos ajude.

Franky disse...

Agradeço de coração a todos vós, Observador, Elvira, Jon e Marina, é bom saber que vocês estão aí, porque isto não está a ser nada fácil. De vez em quando preciso vir aqui e gritar, gritar a revolta, a raiva e o desespero, através da escrita. Depois, voltar lá para dentro, ensaiar um sorriso e fazer como se nada disto me abala-se. Dar forças a quem dela tanto precisa neste momento é tudo o que eu posso fazer, não posso desistir nem baixar os braços, não é só pelo Rui, mas também pelo meu filho, basta às vezes um pequeno vacilar da minha parte, para todo o muro cair por terra, e neste momento isso não é possível.
Obrigada de coração a todos

Linda disse...

Olá Franky, é com tristeza que leio esta noticia, mas... continuem com esperanças, as vezes as coisas mudam!
Os médicos também se enganam.
Muita força para todos.

Beijos
Linda

Lu disse...

Um abraço apertado e um beijo cheio do carinho que tenho por ti e esperança... muita! É o que te posso deixar!

Anônimo disse...

Franky, tenho vindo aqui, embora não comente, mas hoje senti que tinha de o fazer.
Quando o meu pai ficou doente, o medico, disse me que " já tinhamos perdido este combóio ", é duro ouvir, pensamos como pode ser possivel... na altura até pensei que ele estava enganado...
Em relação á falta de ar e ao estar sem comer, não sei se te informaram, que tu mesma o podes ajudar, tens direito a ter em casa gratuitamente, o oxigénio e o soro, para ele se aguentar melhor.
Com o meu pai, solicitei esses serviços e vinha uma enfermeira a casa vinda do centro de saúde mudar o soro, é tudo gratuito.
Comecei a dar lhe um suplumento que se chama fortimel, é liquido e com isso ele conseguiu ir aumentando de peso.
Estar no fim da linha, depende por vezes da vontade de viver.
Ouvi por 3 vezes me dizerem, que o meu pai não passava desse dia e ele passava sempre.
Desculpa o testamento, mas achei importante saberes que mesmo no fim da linha.... se estiver, podemos melhorar os seus dia.
Se precisar estou aqui.
Beijos
Vanda

Vera disse...

Franky,

Não poderia deixar de deixar aqui um abraço forte e um beijinho!!

Quando o meu pai ficou doente, nunca pensei ouvir do médico "Já não há nada a fazer, apenas podemos-lhe dar qualidade de vida!". Foi muito difícil ouvir isto, mas não se pode desistir nem deixar desistir!!
Eu sei que às vezes as forças falham...

Não desista!! Um beijo e muita força para aqueles momentos dificeis

Franky disse...

Olá Linda, pode ser amiga, pode ser, Deus a ouça. Pior as coisas são difíceis de estar. Obrigada
Um beijo

Franky disse...

Lu, recebi o teu abraço e agradeço de coração.
Um beijo para ti também

Franky disse...

Olá Vanda

Neste momento para além das palavras frias ou profissionais dos médicos, de se enganarem ou não, a vida é preciso seguir em frente e é aí que tudo falha. Preciso muito de orientação, porque é aí que eu encontro o vazio, o deixa andar, o não te rales, e temos de ser nós, que temos de estar sempre a pedir, a insistir com os médicos com o Serviço Nacional de Saúde,com a segurança social, lutar contra meio mundo, como se já não nos basta-se ver sofrer um familiar.
Obrigada pelas sua orientação e conselho. Hoje mesmo vou ao Centro de Saúde e ver o que consigo arranjar. A minha luta neste momento é essa, melhorar os seus dias.
Um beijinho para si e obrigada de coração

Anônimo disse...

FranKy, antes de ir ao centro de saude, o seu medico tem de passar ums cardenciais, para se requisitar uma firma que é a Lindemed, com essas cardenciais telefona se para eles e eles colocam isso em casa, só depois se pode requisitar enfermeira no centro de saúde.
As vitaminas que lhe falei, não existem em todas as farmácia, se não encontrar posso enviar lhe daqui, elas são um bocado caras e não é comparticipado para variar.
Tudo o resto que lhe falei em cima é gratuito.
É bem verdade tudo o que diz, para conseguir tudo isto, não foi facil, por lei tem direito a isto tudo, se o medico argumentar, imponha se, este é um direito do seu marido.
Vanda

Anônimo disse...

Desculpe voltar, mas lembrei me ainda de outra situação, se as dores continuam a aumentar, solicite ao médico, que ele seja visto numa consulta que se chama a consulta da dor, depois de ver que as dores não passavam, passei me com a medica e disse, que ela tinha de arranjar uma solução, aí foi encaminhado para a consulta da dor, tambem ele tomava tramal, a médica chegou á conclusão que a medicação era fraca para as dores que tinham, passou a ser seguido lá, e aliviaram bastante as dores deles, nessa consulta, fornecem alguns medicamentos para a dor de forma gratuita.
Vanda

Franky disse...

Olá Vera
Nunca pensamos ouvir essas palavras. O "fim" é difícil de aceitar em qualquer situação. E quando o ouvimos pensamos, eu pensei, será que fiz tudo certo, se o estou a fazer? Não é fácil eu desistir, mesmo perante o inevitável, mantenho a fé e a calma. Mas tenho momentos, sem dúvidas, que sinto revolta.
Obrigada
Um beijinho,

Franky disse...

Olá Vanda

Farei tudo como me diz, também não é fácil arranjar consulta com o médico de família, estes doentes não tem privilégios perante os outros, pelo menos aqui no Bombarral, já me mandaram ir às 3 da manhã para arranjar consulta para o Rui. Vamos ver quais as voltas que tenho de dar.
Obrigada pela informação, se precisar em mando um mail.
Obrigada de novo
Um beijinho

Observador disse...

Franky

Para o caso de ser preciso, deixo aqui o link da Lindemed.

http://www.linde.pt/international/web/lg/pt/like35lgpt.nsf/docbyalias/homepage

As melhoras

Franky disse...

Olá Observador
Tomei nota do link.
Obrigada.

elvira carvalho disse...

Franky passei por aqui para saber do Rui. Sei que as coisas são difíceis, mas não podemos perder a esperança. Quando há cinco anos os médicos nos desenganaram em relação ao meu pai, assinámos um termo de responsabilidade para o trazer para casa, já que não lhe davam alta. Na altura meu pai vomitava tudo até a água. E levámos dois dias em casa em que o alimento dele foi apenas geleia real de abelha. E devo dizer-lhe que o meu pai se dava mt bem com a geleia real de abelha. Sempre que estava mais fraco ou sem vontade de comer era o que lhe dáva-mos.
Quer isto dizer que pode experimentar dar a seu marido. Não é comparticipado mas não é muito caro. Não o vai curar, mas pode ajudar a fortalecê-lo.
Sumos de frutas naturais também são bons, pelas vitaminas que contem.
Deixo-lhe um abraço muito apertado.

São disse...

Ai Franky nem sei que dizer. deixo um abraço apertadinho. Vocês não merecem.
Beijo muito muito grande.

Anônimo disse...

Franky,

Também nestes momentos fico sem palvaras para dizer.
Por vezes a prórpia Vida engana-se e surpreende-nos.
Perder a Esperança NUNCA!!

Um grande abraço para TI, muito apertado.

Mafy

Franky disse...

Olá amiga Mafy
Que bom "ver-te" de novo por aqui depois de um período de "descanso".
É assim amiga, a esperança por vezes fica abalada, porque nos sentimos desamparados e revoltados! Porque a nós, perguntamos? E ninguém nos pode responder.
Um Beijinho Grande para a mais recente mamã do meu blogue