sábado, outubro 17, 2009

Remédio do cancro cega doentes Do Santa Maria!

Doentes cegos no Hospital de Santa Maria

"Apenas a letra ‘B’ era visível. O restante estava borratado, na etiqueta colada com autocolantes no receptáculo onde se encontravam os restos dos medicamentos. O funcionário da farmácia não confirmou o nome e trocou a embalagem. Resultado: os médicos, que pediram alguns miligramas de bevacizumad (a substância activa do Avastin) para tratar as infecções oculares dos seis doentes que estavam no Santa Maria, usaram um medicamento cujo produto activo é utilizado como substituto da quimioterapia. Trata-se também de um citotóxico, mas tem um efeito visicante. Ou seja, destrói as células fora dos vasos sanguíneos".

Como é possível isto acontecer nos nossos dias onde a vigilância e segurança no trabalho deveria estar assegurada? E como vão viver estas pessoas o resto das suas vidas? A quem pedir responsabilidades? Como é possível ser só uma pessoa a preparar o medicamento na farmácia hospitalar e não existir nenhuma equipa que supervisione todos os medicamentos que de lá saíam? E a equipa médica no bloco operatório?
Conviver com a cegueira é das piores coisas que nos pode acontecer, por mil e uma razão isso pode suceder, mas por culpa directa de alguém deve dar uma raiva muito grande.
Quero deixar aqui um grande abraço de solidariedade para com aqueles que estão a passar por tudo isto, de quem sabe e sofreu na pele o que é conviver com a cegueira.

Um comentário:

Observador disse...

Pois...
Já me referi a este facto no meu blogue.
A situação parece clara.
Excepto para quem ficou cego.
Mas, com culpados apontados, e embora tal facto não devolva, só por si, a vista a qualquer dos doentes, o que irá acontecer?
Quem vai "pagar as favas"?