quinta-feira, agosto 21, 2008

O inferno em Barajas!

Mais de 150 mortos no acidente aéreo de Madrid
"20.08.2008 - 20h00 PÚBLICO
Apenas 19 das 172 pessoas que seguiam a bordo do avião da Spanair que hoje se despenhou no aeroporto de Barajas, em Madrid, sobreviveram ao acidente que vitimou 153 pessoas, de acordo com indicações da companhia aérea ao "El País". Este é já considerado o pior acidente aéreo em Espanha dos últimos 30 anos. A maioria dos feridos, encaminhados para vários hospitais da capital espanhola, encontra-se em estado considerado muito grave. Um dos feridos, um rapaz na casa dos 20 anos, acabou por morrer ao final da tarde, fazendo descer para 19 o número de sobreviventes.

Das 172 pessoas a bordo, 162 eram passageiros (incluindo vinte crianças e dois bebés) e dez eram membros da tripulação.

“Apenas a cauda está reconhecível. Há destroços espalhados por todo o lado e corpos”, admitiu em declarações à rádio nacional espanhola Herbigio Corral, responsável pelas operações dos serviços de emergência no local do acidente. Herbigio Corral confirmou que há apenas 28 sobreviventes e que destes oito estão em estado crítico.

A ministra espanhola das Infra-estruturas, Magdalena Alvarez, falou também aos jornalistas esta tarde no aeroporto de Barajas, mas recusou-se adiantar o número de mortos do acidente. Magdalena Alvarez afirmou apenas que o número “é muito elevado” e que os últimos dados apontavam que apenas 26 tinham sido resgatadas.

Fontes da delegação do Governo em Madrid citadas pelo "El Mundo" avançaram que 80 corpos foram já retirados do local. Os corpos foram transportados para um pavilhão do centro de exposições Juan Carlos I, em Madrid, para serem identificados.

A bordo do voo JK5022 da Spanair, que fazia a ligação entre Madrid e Las Palmas (Canárias) e era partilhado com as companhias aéreas alemã Lufthansa e escandinava SAS, seguiam 166 passageiros, incluindo dois bebés, e nove tripulantes, segundo informações avançadas pelo director comercial da companhia espanhola, Sergio Allar.

A lista de passageiros já foi divulgada pela Spanair (ver link), não especificando, porém, as pessoas que morreram e as que sobreviveram.

O avião deveria ter descolado do aeroporto pelas 13h00 locais (12h00 em Lisboa) mas só levantou voo às 14h35 (13h45), depois de ter submetido a uma inspecção técnica. A própria Spanair confirmou que o seu aparelho saiu com uma hora de atraso devido a problemas técnicos.

Pouco depois de descolar, um dos motores do lado esquerdo do aparelho ter-se-á incendiado e o avião acabou por despenhar-se na pista 36L, no Terminal 4, provocando um fogo na vegetação próxima da pista. O jornal espanhol “ABC” avançou que o aparelho ter-se-á despenhado após uma segunda tentativa de descolagem. O "El Mundo" adianta, por sua vez, que após a queda o avião partiu-se em dois. Estas informações não foram ainda confirmadas oficialmente.

As caixas negras do aparelho já foram encontradas e as investigações ao acidente vão ser iniciadas.

As operações de socorro continuavam na pista 26 do aeroporto ao cair da noite. Segundo o “El País”, pouco antes das 20h00 locais (19h00 em Lisboa) uma equipa de mergulhadores da Guarda Civil efectuava buscas num rio próximo do local do acidente, quando continuam desaparecidas 25 pessoas. A operação foi iniciada no rio por parte da fuselagem do avião ter caído na água.

A Spanair, a segunda maior companhia aérea espanhola, a seguir à Iberia, accionou um número de emergência para os familiares dos passageiros (0034 800 400 200) e fretou um voo desde as Canárias até Madrid para as famílias das vítimas. No aeroporto de Madrid foi disponibilizada uma sala onde está a ser dado apoio psicológico aos familiares.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português disponibilizou também um número (707 202 200) onde podem ser dadas e recebidas informações sobre a possível existência de portugueses entre os passageiros.
"

4 comentários:

elvira carvalho disse...

É amiga, e nesta tragédia toda temos o homem dos camelos em declarações a propósito do acidante, em que em vez de lamentar o acidente, vem dizer que este acidente vem demonstrar que o governo tem razão em querer tirar o aeroporto de Lisboa. Ouviu?
O homem devia estar sempre de boca fechada.
Um abraço e bom Domingo

Franky disse...

Elvira, desde a primeira Gaffe que este Ministro tem os dias contados, mas algo ou alguém insiste para ele continuar!
Obrigada e um beijinho

Anônimo disse...

Olá Francisca!
Discordo um pouco de vocês. Estava precisamente ao lado do ministro "dos camelos" quando ele falou dessa questão a um colega meu. Nós jornalistas fizemos o nosso trabalho. Não sei se sabem, mas o aeroporto de Madrid fica ainda bem afastado da cidade... Face à localização da Portela eu nem quero pensar de um acidente destes em Lisboa. Há sempre o risco de atingir habitações pelo facto de o aeroporto estar no centro da cidade de Lisboa, o que não aconteceria no "deserto" que é Alcochete. Por exemplo, sei que existem pilotos que não conseguem aterrar em Lisboa, porque há pouco espaço de manobra para aterrar.Em plena área de aterragem, os aviões sobrevoam grande parte de Lisboa. Já vivi em Entre Campos e cada passagem do avião era motivo para todos os vidros da casa estremecerem.

beijinhos

Flávia

Franky disse...

Olá Flávia

Nesse ponto que focas-te eu também concordo contigo. O aeroporto de Lisboa já há muito tempo que deveria ter saído da portela, se para a zona Oeste ou para Sul, para mim é indiferente. Nem é bom imaginar um acidente deste género no nosso aeroporto! O aeroporto da Portela está encravado no centro da cidade de Lisboa. Logo, seria uma grande desgraça e isso todos estamos conscientes. A escolha das palavras usadas numa ocasião como esta é que é infeliz, e logo faz-nos lembrar outros momentos menos felizes desta mesma pessoa. Aproveitar uma ocasião desta para lembrar como o governo tem razão, é desnecessário!
Beijinhos